Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Olhares Azuis

Aqui por casa, 7 pares de olhos azuis.

Olhares Azuis

Aqui por casa, 7 pares de olhos azuis.

A escola

O meu J. baixou as notas.

Era de esperar mais cedo ou mais tarde pela quantidade de estudo que tem feito ( quase nulo!). Faz os TPCs, e por vezes relê alguma parte da matéria que tem dúvida na véspera da prova. Mas estudar mesmo, nada feito.

Nunca ralhei, apenas lhe chamava a atenção se não seria necessário algum estudo . A resposta veio sempre negativa, "sei a matéria" dizia-me ele. E eu confio ( mesmo achando que "isto não vai correr bem para sempre").

Agora que começa a receber as notas destes testes ( e sendo só um neste trimestre não terá hipótese de subir) apercebe-se que cometeu o erro de não estudar. Hoje disse-me que está na altura de começar a estudar se quer continuar com as notas que tinha. Já "magicou" um plano para aprender a estudar, já fala em ir revendo a matéria nas férias grandes para não esquecer o que aprendeu, e diz-me que no próximo ano não se pode desleixar como foi neste.

Aprendeu com o seu erro. Para mim é importante que os meus filhos aprendam por eles próprios, é mais fácil de corrigir ou mudar de estratégia quando o erro é nosso do que quando é de outra pessoa ( como por exemplo dos pais, em que contamos o que nos aconteceu para antecipar os erros dos nossos filhos).

Ele baixou MUITO as notas, em cerca de 20%. Menino de notas entre 85 e os 100%, agora tem trazido notas na casa dos 70%. Não é grave, é claro que não! E está tudo bem. Mas ele ficou triste, esse sentimento é importante para melhorar. E eu acredito que no próximo ano a atitude será outra. Ele não é rapaz de baixar os braços, mas sim de lutar quando é preciso.

Errar para aprender e crescer.

 

 

 

Primeiros passinhos

Já se levantavam, e andavam agarradas a tudo largando-se esporadicamente para brincar em pé.

Davam 2 passinhos e deixavam-se cair sentadas porque o medo de cair apertava com elas.

E ontem, TUDO MUDOU!!! A O. olhou para a L. que estava ao colo da E., largou-se e lá foi ela...para se abraçar à L. e dar-lhe um beijo!!!

Foi tãoooooo emocionante ( a E.ficou de lágrima no olho).

Hoje, foi a vez da L. ! Largou-se e lá foi ela da mesa até mim .

 

Ainda não andam efectivamente pois preferem gatinhar, mas os primeiros passos estão dados. A partir de agora, será sempre a andar !!

 

nininhas.jpg

 

Reunião na escolinha da Amorinha

Está uma crescida e já se fala no 1º ciclo.

Gosta de números e de letras.

Já lê algumas coisas porque quer saber ler.

Escrever não é com ela, no entanto nos desenhos que faz escreve para identificar o que acha importante.

Faz contas de cabeça quando lhe fazemos pequenos problemas.

 

Gosto TANTO de a ter assim pequenina e brincalhona...

Em Setembro irá para o primeiro ano, tornar-se-á uma estudante. Sinto um orgulho enorme e uma nostalgia ao mesmo tempo. A minha pequena a crescer.Oh tempo! Abranda!

 

Hoje foi dia de reunião, de falar sobre as novas regras, sobre o que a espera. Como já é a terceira vez que passo por isso, sei o que nos/a espera. E vai ser bom, vais ser tão bom! Agora, é tempo de aproveitar para brincar muito. Criar boas memórias do jardim de infância, e guardar aquele cheiro característico da escola dos "pequenos" para mais tarde recordar. Porque a brincar se aprende e se cresce muito. No ano que vem, virão novos desafios, novos amigos, nova professora, novo material.  Um passo enorme para ela, e também para nós!

O tempo voa...e a Amorinha ganha asas.

 

 

Tagarelices das minis

Eu diria que no caso delas são mesmo chinezices! Elas falam falam falam e só elas se percebem. Confesso que me derreto toda quando estão nos dadadadada e tatatatatatata uma com a outra . Mas falemos português...ora por aqui as "palavras" são :

  • Dá ( do verbo dar mesmo e a pedir com a mão)
  • Anda ( a chamar com a mão também)
  • Mamã ( palavra sem sombra de dúvidas no 1ºlugar do TOP10 das palavras delas)
  • Ga ( gata)
  • Ma ( quando vê umas da irmãs, ou o irmão)
  • Aíxe ( Alice)
  • Nana ( banana)
  • AH! AH! AH! AH!  ( aos gritos e aos pulos,quando me vêm tocar no pote de bolachas )
  • Papá ( penso que se percebe bem o que quer dizer)
  • Papapa ( quando vêm a sopa ou outra comida)

De resto elas bem dizem coisas e argumentam. Eu repito na esperança de aprender uma nova língua mas não devo passar no teste com 99% de certeza . Elas ficam a olhar para mim com cara de " que raio está a mamã ali a tentar dizer" e comentam (naquilo que acredito ser gemelês) uma com a outra deixando-me LITERALMENTE à nora.

Uma coisa que gostam muito é de cantar! E dançar também. Já sabem "piscar" as mãos quando canto o Brilha Brilha ( Estrelinha), e fazem algumas partes da canção das Doidas andam as galinhas, abanando o corpinho, e por vezes mesmo fazendo agachamentos rápidos que mais parece que treinam no crossfit.

 

E pronto ...é isto...Bom fim de semana gente!

E como está aqui a Lisa a dizer " becbecbecbecbec" ( whatever that means!) .

Dores de Crescimento - dos pais

Os filhos crescem, e os pais "sofrem". Se por um lado é o orgulho de os ver crescer, por outro é a dor que nos assola com receios e medos.

Neste momento tenho a E.com 13 anos,  na corda da adolescência. Um dia é festa, noutro o descalabro!

A E. começa a enrolar-se num casulo qual lagarta em plena transformação. Sim, transformação! O corpo mudou.  Os sentimentos e a forma como vê a vida, o mundo, a família e os amigos também começam a mudar. Está em metamorfose. E esta mudança pede  exige espaço e distância. Ela precisa do seu espaço, sozinha, a pensar nas suas coisas, na vida. Precisa do seu CASULO para crescer. Uma menina cada vez mais mulher, mas ainda criança. Está no seu casulo, e quando daqui a uns tempos sair dele, terá asas para voar qual borboleta.

Dores de crescimento...minhas! E do pai! Porque como já disse, é tão bom vê-los crescer mas dói. Dói de pensar nas decisões que têm de tomar ( saberão escolher bem ?), dói pensar que para crescer é preciso cometer erros, dói pensar que também eles terão dores de crescimento.  

A vida dos meus filhos é deles e só deles, e são eles que a têm de viver em pleno. Estamos e estaremos sempre presentes no percurso dos nossos filhos. Sempre disponíveis para os bons e para os maus momentos. Sempre presentes para ouvir, escutar, apoiar e se necessário aconselhar. O nosso colo estará cá sempre disponível, e os nossos braços sempre abertos, para os receber sempre que precisarem. Pois, apesar de tudo, serão aos nossos olhos, sempre os nossos bebés, as nossas lagartas que simplesmente passaram pela metamorfose. A minha princesa será sempre a minha princesa, com 13 ou 31 anos.

Dores de crescimento...( suspiro).

Desmame natural da L.

Não sei que aconteceu, mas desde dia 12 que a L. recusa a mama.

Ofereço por diversas vezes e recusa sempre. Falei com uma CAM que me diz que pode ser greve da mama, mas já lá vão 10 dias que simplesmente não aceita e me empurra. Se insisto muito chateia-se e chora.

A minha A. desmamou sozinha 1 semana antes de fazer 12 meses, exactamente como me está a fazer a L. agora, e nunca mais quis maminha. Custou-me MUITO. E, apesar de já ter passado por isso e ainda estar a amamentar a O., está a custar-me mais ainda!

Sinto que estou a dar mais de mim a uma do que a outra, mesmo sabendo que a escolha é dela ( pois ofereço sempre ) e que é ela que não quer.

Não estava NADA preparada para isto... é que não estava MESMO!

Higiene Natural e as minis

YEAH! Já as consigo meter as duas ao mesmo tempo no penico há cerca de um mês e pouco( elas têm timings maravilhosos...sempre tudo ao mesmo tempo!) . Não é fácil , mas faz-se. Com isto por norma apanho mais necessidades fisiológicas no penico. Quando acordam o xixi é feito no penico, sem insistência. Se querem fazem, se não querem tudo ok na mesma.

Se dá trabalho , dá. Mas confesso que prefiro tirar o cocó do penico do que limpar um rabo sujo!

DSC_7676[1].JPG

E noto que elas preferem fazer o serviço no penico do que na fralda!

 

 

Escola - reunião extraordinária

Fui convocada para uma reunião ( não programada, de última hora) de turma da minha filha mais velha. Está no 8ºano. O assunto da reunião era bem claro, COMPORTAMENTO e APROVEITAMENTO dos alunos.

Sobre o primeiro ponto, os alunos não são mal educados, mas são sim mal comportados. A turma é de 28, e dos 28 a maioria está na conversa, e os outros estão noutro planeta (os mais introvertidos como a minha E.). Sobre este assunto a E. já se tinha queixado por diversas vezes. A falta de concentração provocada pelo burburinho constante, ou o tempo perdido em aula para chamar a atenção dos grupinhos faladores fazem com que ela se perca nos pensamentos.

Sobre o segundo ponto, a Directora de Turma foi clara. Neste momento, metade , METADE,  da turma está prestes a chumbar. Neste momento os repetentes ( que são 3 ) estão igual ou pior que no ano anterior, e outros 11 têm duas ou mais negativas. Este caso não se aplica à minha E. directamente ( ela realmente baixou as notas mas nada de preocupante), mas afecta sim indirectamente.

 

Eu estava "preocupada" , e, felizmente, o caso dela não é "grave". Mas confesso que a reunião não correu como esperava. Eu estava à espera de pais com vontade de puxar pelos filhos, de motivar as crianças e criar estratégias para melhorar o grupo. A realidade foi outra...e deixou-me a pensar sobre o futuro dos nossos filhos. Pais que pedem para que os professores dêem a papinha toda feita para facilitar o estudo, pais que perguntam porque não dão as aulas como no 5º ou 6º ano pois nesse ciclo tudo correu bem, pais que perguntam se não podem mudar de professores...

Na reunião de ontem, senti-me a "mãe-do-contra". Cada vez que um educador opinava, lá estava eu de mão no ar para ripostar ( acho que não concordei com NADA!!). Como podem querer que os nossos filhos se desenvolvam se a desculpa do comportamento "são as hormonas, e os professores têm de ter paciência e ter mais pulso"? Como vão os nossos filhos, que estão a meio do 3ºciclo, aguentar um secundário se não estudam a não ser que tenham TUDO explicado como se estivessem na primária? Como vão os nossos filhos VIVER simplesmente, se quando têm um professor que gostam menos os pais pedem para trocar? Estarão os pais a esquecer-se que é AGORA que devemos guiá-los sobre como se concentrarem criando estratégias, é agora que devem estudar por si e encontrar a melhor forma de o fazer ( podemos claro dar um apoio se necessário). E para mim, a pior de todas... pela vida fora os nossos filhos terão de viver, conviver, trabalhar ,falar com pessoas que gostarão menos. Faz parte da vida! É agora que devem aprender a lidar com a frustração de "aturar" uma pessoa que gostam menos, para mais tarde viverem em sociedade e saberem lidar com as diferentes personalidades.

Saí de lá frustrada.

Mães que acham piada ao facto dos filhos terem duas cadernetas ( uma com as boas notícias e outra que nunca é assinada).

Pais que acham normal "estudar" com colegas através do messenger.

 

Serei eu que estou errada?

Em casa falei com a E., com o J.( que está no 5ºano) e com o G.( marido) sobre o assunto. Disse que a DT solicitou que os pais verificassem os cadernos dos filhos. Eu disse à E. que não o iria fazer( ao J. vira volta dou uma espreitadela), pois confio nela. Ao primeiro motivo para desconfiar conversamos , esclarecemos e resolvemos tomando as devidas disposições. 

Sinto que está tudo de pernas para o ar...ou eu estou no planeta errado!